Menino morre com otite após pais recusarem medicamentos

Criança morre com otite. Pais recusaram recorrer a medicamentos

Uma criança, de sete anos, natural de Itália morreu este sábado depois dos pais se terem recusado a administrar a medicação adequada para travar o problema de saúde do filho. Os pais recusaram curar a criança com medicamentos e apenas recorreram à homeopatia, acreditando que se curaria.

No sábado, os médicos não tiveram alternativa senão declarar a mote cerebral do menino, após vários dias sem que esta manifestasse qualquer atividade neurológica.

O pequeno Francesco, doente há duas semanas, estava internado, em coma, num hospital em Ancona, Itália, desde quarta-feira, quando lá chegou semiconsciente e com febre alta.

O menino padecia de uma otite que foi tratada com homeopatia e não com antibióticos, que acabou mais tarde, por danificar as funções vitais da criança.

Aparentemente, as dores que Francesco sentia nestas últimas duas semanas já haviam sido comuns noutras alturas, em que apresentava, além das febres altas, dores no corpo. O avô do menino disse à imprensa que terá sido o homeopata, em quem os pais confiavam cegamente, que disse aos pais de Francesco que não seria preciso levar a criança ao hospital.

Os pais vão agora, diz a imprensa italiana, processar Mecozzi.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

OMS: Tabaco mata sete milhões por ano e quer mais medidas
De acordo com os dados, o número de mortos aumentou de quatro milhões, no início do século XXI, para mais de sete milhões. Os resíduos que deixa contêm mais de sete mil químicos tóxicos que poluem o ambiente e têm agentes cancerígenos.

Irmão de Suzane Richthofen é encontrado na Cracolândia em São Paulo
Até a tarde desta terça, nenhum familiar de Andreas havia aparecido no hospital para visita-lo ou procurar notícias. Para garantir que o paciente não se machucaria com o objeto, funcionários do hospital retiraram o acessório dele.

Trocado na maternidade, Pedrinho defende Aécio
Roberta, no entanto, não voltou a morar com os pais biológicos e nem retomou o nome com o qual seria batizada. Após cumprir cinco anos, em regime fechado, semiaberto e aberto, recebeu em 2008 a liberdade condicional.

Idosa encontrada morta dentro de arca frigorífica
O familiar terá ido à casa da vítima, que estaria toda remexida, mas não a encontrou, o que o levou a chamar as autoridades. O caso está a ser investigado pela Policia Judiciária de Aveiro.

Outras notícias