Fed deverá elevar juros apenas mais uma vez em 2017, diz S&P

Fonte:Agência Brasil  Divulgação

Em sua declaração, o Fed indicou que a economia estava se expandindo moderadamente, o mercado de trabalho continuou a se fortalecer e a recente desaceleração da inflação foi considerada transitória.

O banco central apresentou seu plano para reduzir o portfólio de US$ 4,2 trilhões em "treasuries" e títulos lastreados em hipotecas, cuja maior parte foi comprada na esteira da crise financeira e recessão de 2007-2009.

No comunicado, a S&P ressalta que o Fed também delineou detalhes sobre a normalização de seu balanço patrimonial, afirmando que pretende iniciar o processo de redução ainda este ano, caso a economia evolua como previsto. O plano, que levará a suspensão dos reinvestimentos de montantes cada vez maiores de títulos vencidos, não especificou o tamanho total da redução. O banco central norte-americano elevou os juros básicos dos Estados Unidos em 0,25 ponto porcentual, dentro do esperado pelos analistas. No entanto, uma linguagem mais dura dos dirigentes no comunicado ou de sua presidente, Janet Yellen, poderia resultar em volatilidade adicional com viés negativo para essas praças.

O Fed aumentou sua previsão de crescimento econômico nos Estados Unidos neste ano e se mostrou mais otimista em relação ao emprego.

O Produto Interno Bruto (PIB) americano deve aumentar 2,2% em termos anuais no último trimestre de 2017, ou 0,1 ponto mais do que o previsto em março, segundo as novas projeções do Comitê de Política Monetária (FOMC).

Em nota emitida após a reunião que definiu a taxa, o BC americano manteve a expectativa de aumentar os juros mais uma vez no ano.

A medida preferida do Fed para a inflação caiu a 1,5%, de 1,8% neste ano, e tem ficado abaixo da meta de 2% do banco central há mais de cinco anos. Embora a inflação esteja abaixo do alvo de 2% no curto prazo, os membros disseram que esperavam que o alvo seja atingido ao longo do tempo.

O presidente do Fed de Minneapolis, Neel Kashkari, foi dissidente na decisão da quarta-feira.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

UE ameaça novas restrições à carne brasileira
Daquelas empresas que ainda têm o direito de vender, a Europa vai exigir testes microbiais em 100% das exportações. Bruxelas também exige que nenhuma nova empresa solicite entrar na lista de exportadores de frango ou carne bovina.

José Manuel Fernandes defende Agência Europeia do Medicamento em Braga
O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, revelou na reunião camarária de 16 de maio ter escrito ao primeiro-ministro a "mostrar o interesse" em acolher a sede da EMA.

Ministério e indústria de alimentos fecham novo acordo para redução de sódio
Além do acordo com a indústria de alimentos, o Ministério da Saúde trabalha com outras frentes para reduzir o consumo de sal . A meta do governo federal é retirar um total de 28,5 mil toneladas da substância dos alimentos industrializados até 2020.

Mercado: OFICIAL: Bruma é reforço do Leipzig para as próximas cinco épocas
O Leipzig, equipa sensação da última temporada na Bundesliga, onde conseguiu terminar no segundo lugar da tabela, anunciou hoje a contratação do jogador português.

Outras notícias