Setor de serviços cresce 1% e tem melhor abril desde 2013

Marcelo Camargo  Agência Brasil  Divulgação

No Rio de Janeiro, com queda de 0,1%, o resultado ficou praticamente estável.

O comércio varejista ampliado, que inclui, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças e material de construção, teve variaçãpo negativa de 0,4% no volume de vendas em relação a abril de 2016, e 0,7% na receita nominal.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou nesta terça-feira (13), que as vendas do comércio varejista brasileiro avançaram 1,0% em abril frente ao mês anterior, considerando o ajuste sazonal.

Por esse indicador, que continua a ser divulgado, a receita nominal subiu 0,5% em abril ante março. Na comparação com abril de 2016, o mercado projetava recuo de 1,6%, com estimativas entre recuo de 3,6% e crescimento de 0,9%.

A receita do retalho do país em abril também apresentou um crescimento de 1,3%.

"O setor de hipermercados, hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo tem um peso importante no consumo das famílias e, por isso, a alta de 0,9 por cento sobre março foi importante para o resultado global do comércio", finalizou.

Já as atividades de Tecidos, vestuário e calçados mostraram ganhos nas vendas mensais de 3,5 por cento, enquanto a comercialização de Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação subiram 10,2 por cento. Nesse confronto as projeções variavam de uma retração de 4,40% a avanço de 0 60%, com mediana negativa em 2,85%. Já as vendas do setor de Outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,1%) ficaram estáveis em relação ao mês anterior. As vendas do comércio varejista ampliado acumularam queda de 1,8% no ano e redução de 6,3% em 12 meses.

Somente os serviços de transporte avançaram 1,0% na mesma base de comparação. As vendas do varejo restrito acumularam retração de 1,6% no ano e queda de 4 6% em 12 meses. Em março, a queda nessa comparação havia sido de 5,2%, corrigida de retração de 5%. E nos 12 meses encerrados em abril, todos os estados seguem em queda desde janeiro.

No acumulado do ano, os serviços já encolheram 4,9%, enquanto nos 12 meses encerrados em abril a queda está em 5%.

Já o setor de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria recuou 3,2% no volume de vendas em relação a abril de 2016.

Na comparação com abril de 2016, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram alta de 1,9% no mesmo período deste ano. No Rio Grande do Sul, o recuo foi de 2,8%; em Goiás (-1,6%); no Paraná (-1,2%); e Santa Catarina (-0,4%). O Rio de Janeiro permaneceu estável, com leve baixa de 0,1%. Nos quatro primeiros meses do ano, os resultados acumulados registraram as quedas mais significativas para os segmentos de outros serviços, com -11,3% e serviços profissionais, administrativos e complementares, com -9,9%.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Pai de Justin Bieber posta foto pelado na Web
Na noite de terça-feira (13), Jeremy postou em seu Instagram uma foto na qual aparece pelado e carregando uma cruz nas costas. Em seguida, compartilhou outra foto na qual a cruz já aparecia fincada na terra: " Eu a enterrei ", completou em legenda.

Restaurado único vídeo com luta real de Bruce Lee
Ele foi o mais rápido lutador de artes marciais e é famoso também por sua revolucionária interpretação das lutas", escreveu um fã. O filme foi postado no último domingo (11) e já ultrapassou 12 milhões de visualizações. "Isso é inveja.

Justiça arquiva ação penal contra presidente do Bradesco
O processo contra os demais executivos do Bradesco na ação penal no caso relacionado à Zelotes prossegue. No mesmo horário, Itaú Unibanco subia 1,08% e Itaúsa (ON), 0,90%.

Fogo em parqueamento de empresa em Faro destrói 40 viaturas
Segundo a Proteção Civil, o combate às chamas foi dificultado pela relva seca no local. Pelo menos 35 veículos ficaram completamente destruídos.

Outras notícias