UE ameaça novas restrições à carne brasileira

Exportação de carne brasileira está mais uma vez ameaçada

ABPA, como representante da cadeia produtiva nacional está apoiando o Ministério com informações necessárias para responder aos questionamentos apresentados pelas autoridades europeias.

A ABPA também ressaltou, na nota, que é preciso esclarecer que a proporção de "desvios biológicos notificados" segue "padrões normais e considerados aceitáveis pelos diversos produtores avícolas mundiais, como é o caso da própria União Europeia".

Segundo a reportagem, a carta tem uma linguagem dura e rígida ao governo brasileiro. Uma nova missão deverá ser enviada em seis meses ao Brasil e os europeus pedem que o governo envie um plano completo de como vai fazer para colocar em ação a resposta.

Novacki afirmou ainda que entende as pressões sofridas pela comunidade europeia, onde muitos países são concorrentes diretos do Brasil na produção de carnes.

Segundo a reportagem do Estadão, a auditoria foi apresentada ontem, segunda-feira (11), ao ministro da agricultura e pecuária, Blairo Maggi (PR-MT), em uma reunião em Luxemburgo, e teria sido realizada no último mês de maio em alguns frigoríficos do país, que não foram divulgados. "Vamos colocar de forma clara que nosso sistema é robusto e efetivo e, se não fosse confiável, não estaríamos presentes em mais de 150 países com exportações de carnes", afirmou.

Desde a operação da PF, a União Europeia enrigeceu o controle de entrada de carnes brasileiras.

Um documento obtido pelo portal do jornal O Estado de S. Paulo mostra que as avaliações do bloco descobriram mais de cem casos de contaminação da carne brasileira e agora Bruxelas ameaça impor novas restrições aos produtos nacionais. Bruxelas também exige que nenhuma nova empresa solicite entrar na lista de exportadores de frango ou carne bovina. Daquelas empresas que ainda têm o direito de vender, a Europa vai exigir testes microbiais em 100% das exportações.

Neste sentido, assim como o Bloco Europeu, o setor de proteína animal do Brasil atua com total dedicação à qualidade de seus produtos, como também pela preservação de seu status sanitário - sendo o único grande produtor mundial a nunca registrar casos de Influenza Aviária e outras enfermidades, o que é um diferencial no mercado internacional.

A missão foi enviada depois da eclosão da Operação Carne Fraca, em março, e que revelou corrupção no controle sanitário no Brasil. Todos os contêineres terão de ser acompanhados por certificados de saúde antes mesmo de deixar o Brasil.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Eike é multado por informação privilegiada
Com a desvalorização das ações da OSX e a venda antecipada de parte delas, Eike evitou um prejuízo de cerca de R $ 10 milhões. Ele destacou que Eike deveria buscar alternativas para afastar a assimetria informacional frente aos demais acionistas.

Vários feridos devido a tiroteio numa estação de metro perto de Munique
A polícia adianta, através da rede social , que a situação está controlada e que foi criado um perímetro de segurança na zona. De acordo com o Deutsche Welle , o suspeito tirou a arma à agente, que terá 26 anos, e baleou-a na cabeça.

Bayern arranja concorrente para Renato por 42 milhões de euros
Para o setor, também chegou Sebastian Rudy , ex-Hoffenheim. "Tive momentos maravilhosos no Lyon e sou muito grato por isso". O Bayern Munique anunciou, esta quarta-feira, a contratação de Corentin Tolisso ao Lyon .

Político republicano é baleado durante treinamento de beisebol nos EUA
O presidente dos EUA colocou de lado as diferenças que poderia ter com todos os que foram, de uma forma ou de outra, afetados. Trump descreveu o senador c omo "um patriota e um amigo verdadeiro" e disse que "nossos pensamentos e orações estão com ele".

Outras notícias