Air Berlim cancela 127 voos por revolta de pilotos

Air Berlim cancela 127 voos por revolta de pilotos

Apesar das ausências, a Air Berlin espera conseguir realizar a maioria dos 650 voos planeados para esta terça-feira para devido a medidas, como a recolocação de passageiros em outros voos ou comboio.

A Air Berlin, a segunda maior companhia aérea alemã, apresentou a 15 de agosto um pedido de insolvência, depois de a Etihad Airways, o seu principal acionista, ter retirado o seu financiamento da empresa, após anos de sucessivas perdas de capital. A empresa já admite suspender operações caso a situação não seja resolvida em breve. O cancelamento destes voos afetou os principais aeroportos alemães.

Air Berlim cancela 127 voos por revolta de pilotos

"Estamos vendo alguém brincar com fogo". Ele ainda revelou conversas avançadas com possíveis 'salvadores' da Air Berlin: "Estamos tratando dos últimos detalhes junto a possíveis investidores".

A união de pilotos Vereinigung Cockpit (VC), por sua vez, revelou que o caso os alertou por conta do número de cancelamentos, mas descartou a possibilidade de uma ação articulada dos profissionais contra a Air Berlin.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

'No Brasil, cada um quer derrubar o outro', diz Temer
O Planalto havia respondido que Temer "não participou e nem participou de nenhuma quadrilha". O Planalto evoca o "Estado Democrático de Direito" e "a barbárie da punição sem provas".

Síria: Hezbollah diz que vitória foi alcançada
Referindo-se aos opositores de Assad, Nasrallah disse que "o caminho do outro projeto fracassou e quer negociar para ter alguns ganhos".

Neymar marca em goleada do PSG em estreia na Liga dos Campeões
Pênalti que o próprio uruguaio finalizou com perfeição, dando a cada integrante do trio 'NCM' um gol antes do intervalo. Aos 23 minutos, o argentino fez grande jogada e bateu firme da entrada área para fazer o segundo dele na partida.

Transportes levam inflação a subir 1,1% em Agosto
A inflação em Portugal aumentou para 1,1 nos em agosto deste ano, uma taxa superior em 0,2% à registada no mês passado (0,9%). A classe com a contribuição negativa mais relevante para o índice de preços no consumidor (ICP) foi a do vestuário e calçado.

Outras notícias