Caixa reduz para 50% limite para financiamento de imóveis usados

Reprodução  Caixa

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do banco.

A redução no processo de financiar imóveis, mais conhecido como crédito imobiliário, sofrerá uma redução na Caixa Econômica federal de 20%, ou seja, os novos usuários do programa oferecido pelo banco vão poder financiar somente metade do imóvel pela Caixa. De maio a julho, o valor das concessões de financiamentos com juros regulados - como os imobiliários - somou R$ 2,4 bilhões, alta de 24% em relação ao trimestre anterior (fevereiro a abril).

Auxilio da Caixa para compra de imóveis usado cai para 50%.

Além do corte de 70% para 60% no teto de financiamento para imóveis novos, houve ainda queda no limite para bens novos, de 90% para 80%.

Num cenário de crescimento da demanda por crédito em meio a um capital limitado, a Caixa está dando prioridade aos financiamentos para a aquisição de imóveis novos.

O banco alegou falta de recursos e informou que a linha - a segunda mais barata depois do Minha Casa, Minha Vida - só será retomada em 2018.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Kylie Jenner está grávida, diz 'TMZ'
Kylie, de 20 anos, terá um bebé com o rapper Travis Scott , com quem começou um relacionamento em Abril. Em seus primeiros 18 meses de existência, a Kylie Cosmetics já tinha faturado US$ 420 milhões.

Primeira época de Mourinho gera receita recorde no Manchester United
O gol do United saiu aos 20 minutos do primeiro tempo e contou com a persistência do centroavante Romelu Lukaku. Logo aos cinco minutos, em rápida escapada, Sané recebeu pela esquerda e cruzou rasteiro para Sterling marcar.

Hyundai Creta ganhará versão maquiada de esportiva em novembro
Do lado de fora, rodas diamantadas 17 polegadas e muitos detalhes em preto brilhante nos para-choques e barras do teto. A central multimídia tem tela sensível ao toque, e conexão pelo Google Android Auto e Apple Carplay.

Alunos do EJA participam e palestra sobre o Setembro Amarelo
No Pará, 266 pessoas morreram em 2015 em função do que o protocolo do Ministério da Saúde define como "Lesões Autoprovocadas Voluntariamente".

Outras notícias