Coreia do Norte lança mais um míssil sobre o Japão

Image-0-Artigo-2296964-1

A Coreia do Norte respondeu nesta sexta-feira às últimas sanções aprovadas pela ONU com o lançamento de um míssil balístico que sobrevoou o Japão e que aumenta ainda mais a tensão na península coreana.

Nesta sexta, o líder do país, Kim Jong-un, havia ameaçado "afundar" o Japão e "reduzir a cinzas e escuridão" os Estados Unidos por conta dessas novas sanções. Já no dia 28 de julho, o regime norte-coreano testou um míssil balístico intercontinental que atingiu uma altitude de 3.700 quiilômetros, e que especialistas disseram ter o potencial de atingir a Costa Oeste dos Estados Unidos. O teste visou certificar a capacidade dos sul-coreanos em atacar preventivamente a Coreia do Norte, o que é cogitado como forma de evitar um eventual ataque nuclear do vizinho.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou na segunda-feira por unanimidade uma nova resolução contra o regime de Pyongyang, após seu sexto teste nuclear.

A Coreia do Norte teria feito o lançamento de um novo míssil, informou a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

"Está passando um míssil, está passando um míssil, provavelmente sobre Hokkaido em direção ao Pacífico".

Há algumas semanas, a Coreia do Norte ameaçou publicamente lançar quatro mísseis nas proximidades da ilha americana. "Não recolham nenhum objeto que possam encontrar", afirmava o alerta. Ainda de acordo com as forças militares do país, o míssil pode viajar por uma distância de até 500 quilômetros e possui tecnologia para evitar a sua detecção por radares.

"Temos que fazer a Coreia do Norte entender que, se continuar por este caminho, não terá um bom futuro", disse Abe. Os governos sul-coreano e japonês convocaram uma reunião urgente de seus conselhos de segurança.

Sydney, Austrália, 15 set (Lusa) - O primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, defendeu que o míssil lançado hoje pela Coreia do Norte figura como "um sinal de frustração" face às recentes sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Coreia do Norte dispara míssil que sobrevoa Japão
Pyongyang havia prometido na quarta-feira acelerar seus programas militares proibidos em resposta às "maléficas" sanções da ONU . Nessa data um míssil balístico sobrevoou Hokkaido.

PGR suspende acordo de delação premiada para Joesley Batista e Ricardo Saud
Eles são acusados de promoverem a venda de dólar futuro dias antes de fecharem um acordo de delação premiada com a PGR. No acordo de leniência com a Procuradoria no Distrito Federal, a multa acordada foi de R$ 10,3 bilhões.

Temer muda a agenda e marca reunião no Planalto neste sábado
No domingo ele também deve revisar o discurso que vai fazer na ONU, na terça-feira, onde pretende citar a crise da Venezuela. Por outro lado, a avaliação é de que o cenário 'é mais favorável' a Temer do que na primeira denúncia.

Pyongyang tinha Guam em mente ao lançar míssil, afirma ministro japonês
A reunião acontece dias depois de as sanções à Coreia do Norte terem sido agravadas, depois de um teste nuclear a 3 de Setembro. O míssil não representou ameaça para os EUA nem para a ilha de Guam, um território americano no Pacífico, disse o comandante.

Outras notícias