Coreia do Norte lança novo míssil

Coreia do Norte lança novo míssil

Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pyongyang lançou dezenas de mísseis sob o comando do líder Kim Jong Un e vem acelerando seu programa de armas, concebido para lhe dar a capacidade de visar os EUA com um míssil nuclear poderoso.

O regime norte-coreano acredita ser necessário "infligir um golpe" aos japoneses, que "não entraram nos eixos", nem mesmo depois de um míssil balístico intercontinental ter sobrevoado o arquipélago, cujas ilhas "deviam ser afundadas pela bomba nuclear Juché [a ideologia oficial norte-coreana de autossuficiência]", afirmou um porta-voz do Comité norte-coreano para a Paz da Ásia-Pacífico num comunicado reproduzido na noite de quarta-feira pela agência KCNA.

Estas restrições, diz a AFP, foram impostas antes de o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que inclui a China, ter votado esta semana um novo pacote de sanções económicas contra a Coreia do Norte, no seguimento de um novo ensaio nuclear no dia 3 de setembro.

"No leste da Ásia, o regime cada vez mais agressivo e isolado da Coreia do Norte ameaça democracias na Coreia do Sul, Japão e, o que é mais importante e mais recente, ampliou estas ameaças aos Estados Unidos, colocando todo o mundo em perigo", afirmou Tillerson.

Adotando um tom mais duro que o secretário, o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, H.R. McMaster, disse que a paciência dos EUA para soluções diplomáticas para a Coreia do Norte está se esgotando rapidamente.

"Vínhamos empurrando isso pelo caminho, e o caminho acabou", disse McMaster aos repórteres.

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul e dos Estados Unidos informou que estar investigando os detalhes do novo lançamento de míssil.

O texto, que tornar-se-á definitivo após uma votação esta segunda-feira por parte dos Estados Unidos, prevê um embargo "progressivo" sobre o petróleo destinado a Pyongyang - e não total e imediato como estipulava o primeiro projeto de resolução norte-americano - e também a proibição de importação por parte dos Estados-membros das Nações Unidas de têxteis norte-coreanos. Não se sabe ainda o paradeiro do míssil de longo alcance.

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Coreia do Norte lança novo míssil sobre o Japão
Isso levou o presidente Trump a dizer que responderia com "fogo e fúria" a um ataque norte-coreano. O Pacom ainda trabalha em uma "avaliação mais detalhada" sobre o último desafio norte-coreano.

Asensio falhou jogo com o APOEL devido a... depilação
A conversa com Zidane no vestiário durante o intervalo deu resultado e o Real voltou mais ligado e incisivo para o segundo tempo. E Cláudio Coelho até parece ter dado sorte a Cristiano Ronaldo, visto que o avançado regressou à competição com dois golos.

China evita condenar de forma explicita último lançamento de um míssil
A Alemanha manifestou que a resposta deve ser dura, para que a Coreia do Norte desista de seu programa de armamento nuclear. A presidência sul-coreana convocou, de imediato, uma reunião do Conselho Nacional de Segurança devido ao lançamento.

"Temos uma equipa mais forte e mais experiente" — Jorge Jesus
Temos uma equipa, este ano, mais forte e mais experiente. "Isto não é como começa, mas é como acaba", alertou. Os próprios adeptos têm de estar adaptados a essa realidade.

Outras notícias