Crocodilo arrasta e mata jornalista enquanto ele lavava as mãos

Linkedin

"Esta é a primeira vez que se conhece um ataque de crocodilo no Sri Lanka".

A polícia do Sri Lanka encontrou nesta sexta-feira (15/9) o corpo do jornalista britânico Paul McClean, de 24 anos, que foi morto por um crocodilo. "O corpo estava preso na lama", acrescentou. Turistas e locais fazem surf na Elephant Rock, que é uma linda praia e muito segura.

McClean licenciou-se na Universidade de Oxford, com grau de primeira classe em francês, e entrou para o jornal Financial Times como estagiário onde trabalhava já há dois anos. A autópsia oficial deverá realizar-se ainda hoje e só depois será confirmada a causa de morte.

A redação do Financial Times está em choque com a notícia, tendo já comunicado, através de James Lamont, editor do FT, que "os nossos sentimentos estão com a família, amigos e entes queridos do Paul". O diretor-executivo da publicação o descreveu como "um jovem jornalista talentoso, dedicado e cheio de energia".

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Asensio falhou jogo com o APOEL devido a... depilação
A conversa com Zidane no vestiário durante o intervalo deu resultado e o Real voltou mais ligado e incisivo para o segundo tempo. E Cláudio Coelho até parece ter dado sorte a Cristiano Ronaldo, visto que o avançado regressou à competição com dois golos.

Chrome irá deixar de reproduzir automaticamente conteúdos com som
Eles já perduram há bastante tempo na rede, mas agora a Google quer acabar com isso - ao menos para os usuários do Chrome . Com estas mudanças, a Google apresenta uma frente de reprodução automática unificada em dispositivos móveis e desktop.

Supremo vota hoje pedido de impedimento de Rodrigo Janot
Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. O presidente foi acusado de obstrução à Justiça e de organziação criminosa.

Simão Sabrosa já recebeu convite da SAD do Benfica
O Benfica deverá apresentar dentro de poucos dias o nome que irá ocupar o cargo de responsável pela área das Relações Internacionais, que Nuno Gomes acabou por rejeitar.

Outras notícias