Em delação, Funaro diz que Temer dividiu propina da Odebrecht com Geddel

Em delação, Funaro diz que Temer dividiu propina da Odebrecht com Geddel

O operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro acusou, em seu acordo de delação premiada, o presidente da República, Michel Temer, de ter sido o responsável por autorizar um repasse de caixa dois para pagamentos da campanha de Gabriel Chalita, candidato do PMDB à prefeitura de São Paulo em 2012. Foi em Salvador que a Polícia Federal descobriu R$ 51 milhões, guardados dentro de malas e caixas, em um apartamento que teria sido emprestado a Geddel, segundo relato do proprietário do imóvel.

A fala de Funaro vai de encontro com a versão apresentada por Cláudio Mello Filho, ex-diretor da Odebrecht. Ele relatou ter negociado com Temer e seus aliados, entre eles o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil), doações de caixa 2 para campanhas em 2014, no total de R$ 10 milhões.

Temer e seu partido romperam com Dilma meses antes de o afastamento dela ser aprovado e confirmado, mas o agora presidente sempre rejeitou a pecha de "conspirador" ou "golpista".

Segundo o relato de Funaro, Yunes era o principal intermediário das operações ilícitas e usava a empresa do coronel Lima para lavagem do dinheiro obtido com o contrato de Angra 3.

Segundo a delação de Funaro, Geddel informou que o dinheiro que iria retirar com Yunes era referente a uma doação via caixa 2 da Odebrecht, acertada com Padilha e Temer.

Além disso, Funaro também acusou Temer de receber propina de R$ 20 milhões de Constantino em troca de apoio ao projeto de abertura do setor aéreo ao capital estrangeiro. A retirada, segundo ele, foi feita no escritório do advogado no Itaim Bibi, em São Paulo.

Funaro teria ido então ao escritório de Yunes e recebido uma caixa com R$ 1 milhão em seu interior.

Na ocasião, Yunes afirmou que teria sido surpreendido como "pacote" levado por Funaro, uma vez que o ministro Eliseu Padilha teria ligado para ele informando que Funaro faria a entrega de alguns "documentos".

A defesa de Eduardo Cunha se manifestou da seguinte forma: "Enquanto não for levantado o sigilo, a defesa de Eduardo Cunha não comentará os supostos termos de delação".

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Marcelo é suspenso por dois jogos na La Liga
O lateral esquerdo brasileiro, de 29 anos, irá amanhã marcar presença frente à imprensa para falar desta renovação. Desde então somou 415 jogos pelo conjunto espanhol onde já venceu praticamente tudo o que há para ganhar.

Britney Spears gasta milhares de dólares só em massagens e roupa
Quer isto dizer que, em 2016, a cantora gastou quase 11 milhões de dólares dos 16 que ganhou. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.

Abel Ferreira chama 21 jogadores para o embate com o Hoffenheim
Além de Dyego Sousa , também o guardião Tiago Sá foi chamado para a receção ao conjunto alemão. O avançado, castigo nas provas internas até outubro, volta a ser opção para os jogos europeus.

Tribunal Constitucional de Angola decide sobre recursos dos resultados eleitorais
No final da tarde de hoje, está previsto o pronunciamento do presidente do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira, sobre as eleições gerais de 23 de agosto.

Outras notícias