"Eu não comprei uma casa à Teixeira Duarte" — Medina

"Eu percebi quem era a proprietária no momento em que adquiri a casa". Tive como motivo ter residência próxima da família, para bem-estar de todos.

Em declarações à TVI 24 ontem, Medina acusou mesmo "fonte partidária em candidaturas adversárias" de estar a passar informações "falsas" aos jornais, argumentando que "desconhecia qual o posicionamento da proprietária na hierarquia da família [Teixeira Duarte], as suas relações com o grupo" e que não comprou "uma casa à Teixeira Duarte", mas "um apartamento em frente aos meus sogros". Paguei um valor totalmente em linha com o mercado e os praticados neste imóvel.

"A casa, com 12 anos, na zona das Avenidas Novas, com uma área bruta privativa de 182 m2, foi adquirida pelo valor de 645 mil euros, a que corresponde um preço por metro quadrado de 3544 euros". Recorri a financiamento bancário para pagar a compra. E garante ainda que em agosto de 2016 atualizou a sua declaração do Tribunal Constitucional para incluir a referência a esse negócio.

"No site medina2017.pt descrevo com todos os passos e comprovo, com todos os documentos associados à compra da casa, que agi como todos os cidadãos de bem".

Em resposta enviada à agência Lusa, a PGR confirma que "a matéria relativa à compra do imóvel é referida numa denúncia anónima recebida na Procuradoria-Geral da República em finais de agosto" e que a participação foi remetida ao Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, "onde se encontra em investigação".

Confrontado pelo Observador, Fernando Medina sublinhou que tinha comunicado ao Constitucional o pagamento do sinal: "A aquisição do imóvel em questão, através do contrato promessa, foi prontamente comunicada ao Tribunal Constitucional tendo igualmente sido referido que o remanescente seria adquirido com recurso a crédito bancário".

"Assim, quer a aquisição do imóvel e respectiva identificação, quer a contratação de um empréstimo, estão inquestionavelmente declarados ao Tribunal Constitucional", explica o presidente da Câmara de Lisboa, que não pondera fazer uma rectificação à declaração.

Ao Observador, Fernando Medina explicou esta situação de acordo com a sua opinião.

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, diz que polémica sobre a compra de uma casa nas Avenidas Novas assenta em "factos falsos" que "ofendem" a sua honra.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Instagram lança recurso de compartilhamento de histórias via Direct
Nessa terça-feira, 12, a ferramenta ganhou uma nova atualização, que facilita o compartilhamento de histórias pelo direct . Claro, como uma História só fica disponível por 24 horas, o destinatário dever verificar antes que a história expire.

Torcedores organizados se reúnem com elenco do São Paulo e Raí
Membro do Conselho de Administração do clube, Raí também esteve presente no encontro, que aconteceu entre 11h30 e 13h. A recomendação do clube foi que os torcedores não falassem com a imprensa quando saíssem do CT.

Vídeo: 'Iceberg' de gordura encontrado nos esgotos de Londres
Segundo a entidade que faz a gestão do sistema, a Thames Water, serão necessárias três semanas para se destruir a massa e repor a normalidade.

Facebook testa perfil privado para usuários
O desenvolvedor encontrou a seguinte frase ao clicar na opção "É melhor compartilhar determinadas coisas em um círculo pequeno". O Facebook parece estar testando uma nova funcionalidade na versão beta do aplicativo para Android.

Outras notícias