Jornalista Marcelo Rezende morre aos 65 anos

Velório de Marcelo Rezende será aberto ao público neste domingo

Morreu aos 65 anos anos, vitimado por um câncer, um dos maiores jornalistas do país. Para fazer o tratamento de quimioterapia, ele se afastou do comando do programa Cidade Alerta, da TV Record. Ele estava internado em um hospital da Zona Sul de São Paulo desde a última quarta-feira com quadro grave de pneumonia.

Marcelo Rezende vinha lutando contra um câncer no pâncreas e no fígado nos últimos meses.

Na gravação, ele fala sobre o andamento de seu tratamento.

"Muita gente vive de boato, e no meu caso até entendo, porque não é toda hora que temos uma informação".

No começo do mês, o apresentador havia publicado um vídeo falando sobre sua luta contra a doença: "O que eu tenho é câncer". E eu estou firme para enfrentar os baixos, até chegar o momento em que o alto vai deslizar e aí a cura vai chegar. "E é preciso ter fé".

Em entrevista ao Domingo Espetacular em maio, Marcelo revelou que não estava desesperado com a doença. O casal, no entanto, estava junto desde fevereiro de 2016.

Marcelo deixa os cinco filhos Diego, Patrícia, Marcela, Carol e Valentina - que teve com cinco mulheres diferentes - e mais dois netos. Mãe da pequena Giovanna, ela mostrou apoio ao repórter, que ganhou também mensagens positivas de Geraldo Luís e Milton Neves.

Nascido a 12 de novembro de 1951, no Rio de Janeiro, Marcelo Luiz Rezende Fernandes não queria saber de estudar na adolescência. No "Cidade Alerta", da Record, ele conseguiu se manter na TV e popularizar-se até entre jovens com bordões como "Corta pra mim!" e "Bota exclusivo, minha filha, dá trabalho pra fazer". Em 1979, porém, foi contratado pela revista Placar.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Protestos por absolvição de ex-polícia causa dez feridos
Recentemente, a cidade de Charlottesville, na Virgínia, foi palco de uma manifestação, que deixou três pessoas mortas. Após a violência, a banda U2 cancelou um show programado para a noite deste sábado em St.

Pyongyang tinha Guam em mente ao lançar míssil, afirma ministro japonês
A reunião acontece dias depois de as sanções à Coreia do Norte terem sido agravadas, depois de um teste nuclear a 3 de Setembro. O míssil não representou ameaça para os EUA nem para a ilha de Guam, um território americano no Pacífico, disse o comandante.

Putin e Macron apelam a "negociações diretas" — Coreia do Norte
Esta sexta-feira o Conselho de Segurança vai voltar a reunir-se em Nova Iorque a pedido do Japão e dos EUA. O porta-voz da Casa Branca informou que o presidente Donald Trump foi informado sobre o lançamento.

Taça Davis: João Sousa deixa Portugal a perder por 1-0
Tenista alemão quer que triunfo sobre o tenista português ajude os seus compatriotas. Mas, com o alemão a servir, Sousa afastou a tensão e devolveu o 'break'.

Outras notícias