Marca japonesa diz ter carro mais rápido que o Bugatti Chiron

Bugatti Chiron 42 Seconds Edition Frankfurt 2017

Apresentado em fevereiro de 2016 no Salão de Genebra, o Chiron acaba de conquistar a marca de aceleração mais rápida de zero a 400 km/h, seguida por frenagem até a imobilidade, justamente no tempo de 42 segundos - mais precisamente, em 41,96 segundos. Totalmente elétrico e com tração integral, o Owl (coruja, em inglês) tem "só" 435 cv e 77,9 kgfm de torque. Na verdade, a conquista é apenas um ensaio para o recorde realmente almejado pela Bugatti, que a montadora francesa pretende anunciar em 2018: o de carro produzido em série mais veloz do mundo, título obtido pelo Veyron, antecessor do Chiron, em 2010, com a versão Super Sport, que cravou 431,07 km/h. O Chiron precisa de 2,5 segundos. Com 4,83 metros de comprimento, é 30 cm mais longo que o modelo francês. Os pneus dianteiros tem medidas 275/30 R19 e os traseiros são maiores, 335/30 R20. Um número que parece limitado é mesmo a autonomia da bateria que se esgota aos 150 km com uma carga.

Bugatti Chiron 42 Seconds Edition Frankfurt 2017
Bugatti Chiron 42 Seconds Edition Frankfurt 2017

Já na velocidade máxima, o Owl decepciona: atinge "apenas" 280 km/h, bem menos que os 420 km/h do Chiron. Ainda assim, serão poucos os lugares onde tamanha velocidade possa ser testada em competição directa ao contrário do arranque, onde a Aspark promete humilhar a Bugatti.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Sem surpresas, Mercedes renova contrato de Bottas para 2018
Para o dirigente, o finlandês não é apenas um segundo piloto da equipe, mas também um forte candidato ao título da temporada.

Instagram lança recurso de compartilhamento de histórias via Direct
Nessa terça-feira, 12, a ferramenta ganhou uma nova atualização, que facilita o compartilhamento de histórias pelo direct . Claro, como uma História só fica disponível por 24 horas, o destinatário dever verificar antes que a história expire.

Justiça Federal aceita denúncia contra envolvidos em corrupção em obras no Rio
Pinto e outras nove pessoas foram presas no âmbito da operação Rio 40 Graus, desdobramento da Lava Jato, em agosto passado.

Após México, Peru expulsa embaixador da Coreia do Norte
Os mísseis Taurus, usados no exercício, são desenvolvidos pelo consórcio europeu de aeroespacial e defesa Eads. O teste foi realizado nesta terça-feira (12) em Taean, a 150 quilômetros de Seul.

Outras notícias