PF transfere Joesley Batista para São Paulo

Wesley Batista foi preso na investigação do uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro

No último depoimento à Procuradoria Geral da República, Francisco de Assis e Silva, diretor jurídico do J&F, disse que Ricardo Saud, um dos diretores do grupo, deu a impressão de que "estava pronto para delatar o Joesley", segundo o site O Antagonista.

Em fevereiro, o ex-procurador pediu sua exoneração e deixou o Ministério Público oficialmente em 5 de abril, mas, segundo a PGR, há indícios de que ele auxiliava a JBS enquanto ainda era funcionário público. O martelo deve ser batido ainda nesta semana, antes do término do mandato do procurador-geral, Rodrigo Janot, no domingo (17). O presidente será acusado formalmente perante o STF de tentar obstruir a Justiça e de integrar organização criminosa. Foi negociada, como premiação, o benefício do não oferecimento de denúncia (imunidade processual).

Janot ainda comunicou a Corte sobre a rescisão dos acordos de colaboração dos dois executivos, que lhes garantiam imunidade penal, e pediu que as condutas ilícitas cometidas pelos executivos relacionadas a irregularidades do "quadrilhão do PMDB" na Câmara sejam avaliadas pelo juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância. Saud é suspeito de ter omitido informações durante os depoimentos de colaboração premiada.

A tendência hoje é que o acordo seja rescindido, ou seja, que os delatores percam todos os benefícios concedidos em troca das informações que prestaram. Janot também pede que o ministro Luiz Edson Fachin, relator dos inquéritos e da delação da JBS, homologue a rescisão, da mesma forma que homologou a assinatura.

Divergências entre a defesa dos delatores da JBS e integrantes da PGR (Procuradoria-Geral da República) sobre o tempo de prisão que terá de ser cumprido em regime fechado emperram a repactuação do acordo de delação de Joesley Batista e executivos da empresa, segundo a Folha apurou.

Ainda não foi informado oficialmente, no entanto, se a transferência de Joesley para a capital paulista é definitiva ou apenas para que o empresário possa depor na Operação Tendão de Aquiles, que tornou também seu irmão, Wesley Batista, prisioneiro desde quarta-feira, 13.

A prática, no mercado, é apelidada de "insider trading".

A investigação aponta que o grupo lucrou US$ 100 milhões com a alta do dólar após 17 de maio. Essa foi uma decisão da Polícia Federal que nós simplesmente acatamos.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

"John Wick 3": Terceiro filme chegará aos cinemas em maio de 2019
O primeiro filme da franquia teve uma arrecadação bastante modesta, de apenas US$88 milhões mundiais. Stahelski falou que o terceiro filme mostrará a origem do personagem vivido por Keanu Reeves .

Leandro Daiello permanecerá à frente da Polícia Federal
Daiello comanda a PF desde janeiro 2011, quando teve início o primeiro mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). O próprio diretor-geral já comentou o desejo de colocar o cargo à disposição e se aposentar.

Polícia britânica revista casa em Sunbury, perto de Londres
Em nota, a corporação informou que "a Polícia evacuou e está revistando uma residência em Sunbury, Surrey". O atentado foi reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Jornalista Marcelo Rezende morre aos 65 anos
Nascido a 12 de novembro de 1951, no Rio de Janeiro, Marcelo Luiz Rezende Fernandes não queria saber de estudar na adolescência. Mãe da pequena Giovanna, ela mostrou apoio ao repórter, que ganhou também mensagens positivas de Geraldo Luís e Milton Neves.

Outras notícias