Produção industrial na zona do euro avança em julho

Bruxelas, 13 set (Lusa) - Portugal registou, em julho, o maior crescimento mensal da produção industrial (1,9%), tendo o indicador aumentado 0,1% na zona euro e baixado 0,3% na União Europeia (UE), segundo o Eurostat.

Os dados de produção de julho seguem a aceleração do crescimento econômico da zona do euro para 0,6 por cento nos três meses até junho, após uma expansão robusta de 0,5 por cento no primeiro trimestre. Por outro lado, na comparação com o mesmo mês do ano passado, por sua vez, a produção industrial da região subiu 3,2%.

Em ambos os casos (comparação em cadeia e evolução homóloga), a prestação de Portugal situou-se acima das médias da Zona Euro (0,4% em cadeia e 1,6% na comparação anual) e da União Europeia (0,4% em cadeia e 1,5% em termos anuais).

O crescimento limitado deveu-se a uma queda acentuada de 1,2 por cento na produção de energia e a um recuo de 0,4 por cento na produção de bens de consumo não duráveis, como alimentos e roupas.

Os dados do gabinete oficial de estatísticas da UE mostram que os maiores recuos mensais da produção industrial se observaram na República Checa (-9,8%), na Hungria (-4,1%), em Malta e na Eslováquia (-3,3% cada).

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Tribunal Constitucional de Angola decide sobre recursos dos resultados eleitorais
No final da tarde de hoje, está previsto o pronunciamento do presidente do Tribunal Constitucional, Rui Ferreira, sobre as eleições gerais de 23 de agosto.

Dois irmãos esfaqueados junto ao Campo Pequeno, em Lisboa
O alerta foi dado às autoridades às 00h20 e o suspeito ainda está em fuga, não tendo sido intercetado. O ferido, de 38, sofreu ferimentos graves e encontra-se internado no Hospital Santa Maria.

Avião da FAB resgatará brasileiros no Caribe
A princípio, o Itamaraty tentava negociações com o Reino Unido para parar o avião também na ilha de Tortola. Lá, trabalham em uma força-tarefa para prestar assistência aos cidadãos brasileiros.

Juncker defende fusão entre comissário das Finanças e presidente do Eurogrupo
A questão do Brexit foi também sublinhada por Juncker, que lamentou a saída do Reino Unido da União Europeia: " será um momento trágico, mas devemos avançar (.) porque o Brexit não é o futuro da Europa".

Outras notícias