Reino Unido: Tony Blair sugere restrições de imigração em vez de Brexit

Manifestantes foram para a Parliament Square

Londres, 9 set (EFE).

Milhares de pessoas manifestaram-se sábado no centro de Londres a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia, poucos dias antes de o parlamento britânico votar o projecto de lei que eliminará a validade das normas comunitárias após o Brexit.

O ponto de partida da marcha foi o Hyde Park e muitos dos presentes carregavam bandeiras do bloco europeu. O objetivo da manifestação, intitulada "Marcha do Povo", é o de "unir, repensar e rejeitar" o plano do governo conservador de Theresa May de retirar o Reino Unido da União Europeia (UE) até 2019.

Em seu site, esta organização assegura que a opinião pública do Reino Unido está agora majoritariamente contra a saída da UE e pede que o governo opte em ficar no bloco comunitário.

Na sequência do referendo a 23 de junho de 2016, o Reino Unido invocou, a 29 de março último, o artigo 50.º do Tratado de Lisboa que permite a saída de um Estado-membro da União Europeia.

Após a votação de segunda-feira, o projeto legislativo será submetido a um período de emendas para ser eventualmente votado de forma definitiva pelos Comuns e pelos Lordes.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

FC Porto prepara jogo com o Besiktas na máxima força
O FC Porto defronta o campeão turco na quarta-feira, pelas 19h45, no Estádio do Dragão. A partir das 17h30, Conceição faz a antevisão da partida com o Besiktas.

Mais de 900 bombeiros combatem incêndios em Castelo Branco
Em declarações à Renascença , o autarca João Lobo espera poder travar as frentes de fogo activas graças aos meios aéreos. No sábado, as chamas ameaçaram as aldeias de Vergão e Maljoga de Proença, mas não foi precisar retirar os habitantes.

Fejsa renovou contrato com o Benfica — Oficial
Ljubomir Fejsa vai continuar de 'águia' ao peito até 2021, pelo menos se cumprir o seu contrato. Fejsa tem 29 anos e um currículo impressionante, onde se contam títulos atrás de títulos.

Justiça do DF suspende acordo de leniência da J&F
O acordo de delação dos executivos da J&F foi suspenso no fim de semana, por determinação do ministro Edson Fachin. Ele apontou que o acordo de delação "sustenta" o acordo de leniência da empresa.

Outras notícias