Assembleia-geral de credores da Oi foi adiada para 6 de novembro

Fachada da sede da Oi no Rio de Janeiro

"Determinados credores solicitaram ao Juízo da 7.ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro [perante o qual tramita o processo de recuperação judicial da empresa] o adiamento da Assembleia-Geral de Credores para que seja realizada no dia 06 de novembro, numa primeira convocação, e, na segundo convocação a 27 de novembro, o que foi deferido pelo Juízo", destacou a Oi.

Para o juiz, se as negociações com os principais credores estão em efetivo andamento, sendo necessário mais alguns dias para o amadurecimento e conclusão das conversas, é oportuno desmarcar a assembleia prevista para ocorrer na segunda-feira.

O pedido de adiamento foi feito na 5ª feira (19.out.2017) por credores internacionais e pelos bancos BNP Paribas, HSBC, Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica Federal.

No pedido, os credores alegam que as negociações poderiam evoluir "para construção de alternativas viáveis" para a companhia.

"No entanto, considerando o pedido formulado por credores extremamente relevantes desta recuperação, quais sejam bancos públicos, instituições financeiras privadas e expressivos fundos detentores de 'bonds' que, aliás, são os que mais peticionam nos autos e participam do processo de recuperação, que detêm parte expressiva do crédito junto ao Grupo Oi, não vejo como não autorizar o adiamento", diz Viana na decisão.

Segundo o presidente da Oi, o adiamento da assembleia, porém, prejudicaria a empresa, pois, em sua visão, é "importante virar essa página". A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) terá participação no dia "com direito de voz". A partir dessa data, devem estabelecer prazo para apresentar a estratégia que será adotada.

Hoje à tarde, a Oi também já havia informado que fechou 25 mil acordos com seus credores em negociações que correspondem a uma soma de mais de 410 milhões de reais (108,9 milhões de euros).

A Oi entrou com pedido de recuperação judicial em junho do ano passado e até agora acionistas e detentores de títulos da empresa não chegaram a um acordo sobre a reestruturação da companhia, que declarou dívidas de mais de 65 bilhões de reais devidos a 55 mil credores.

Segundo a operadora, cerca de 33 mil credores cadastraram-se na plataforma eletrónica para receber os créditos que têm junto da operadora. No último dia 11, o plano de recuperção judicial foi entregue à 7ª Vara.

Também após o encontro de Meirelles com os executivos nesta sexta-feira, a Anatel decidiu antecipar das 11h para às 8h de segunda-feira uma reunião na qual poderá decidir se aceita trocar multas devidas pela Oi em obrigações de investimento pela operadora.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Real Madrid na corrida por nova pérola brasileira
O jovem meio-campista tem contrato até 2019 e uma multa rescisória de 50 milhões de euros (cerca de R$ 187 mi). As negociações avançaram e, se tudo ocorrer como o esperado, em julho de 2018, o brasileiro estará em Madri.

PSD diz que Costa devia "pedir desculpas"
O primeiro-ministro salientou que, se não o fez antes, "não é por sentir menor peso" na sua consciência. Perdeu ontem a confiança do senhor presidente da República.

Hamilton mantém-se inalcançável em Austin — GP dos EUA
Sebastian Vettel partiu para uma volta rápida, mas também rodou na curva 19, a penúltima do traçado americano. Pouco depois, foi a vez de Felipe Massa sair para a pista com os pneus amarelos, marcando 1min38s340.

Governo espanhol e PSOE marcam eleições para janeiro — Catalunha
A decisão é tomada após o presidente catalão, Carles Puigdemont, decretar a independência regional, mas suspender seus efeitos com o objetivo de negociar.

Outras notícias