Asteróide de quatro quilómetros entrou no sistema solar

Trajetória do asteroide

Com base na breve observação, crê-se que o Oumuamua - nome havaiano para 'um mensageiro de longe a chegar primeiro' - tenha cerca 800 metros de comprimento, tenha tonalidade vermelha e seja composto de metal e carbono.

Um objeto interestelar é o primeiro objeto observado pelos cientistas no nossos sistema solar a partir de um telescópio.

O 'Oumuamua situa-se a 200 milhões de quilómetros da Terra.

Em outubro, o telescópio Pan-STARRS, no Havai, capturou um ténue ponto de luz a deslocar-se no céu.

Embora classificado originalmente como cometa, observações obtidas pelo ESO (Observatório Europeu do Sul), no Chile, e por outros observatórios, não revelaram sinais de atividade cometária após a sua passagem próxima ao Sol em Setembro de 2017.

O objeto foi então reclassificado como sendo um asteroide interestelar - o primeiro a ser observado - e batizado de 'Oumuamua - o que parece ser um apóstrofo é uma letra chamada okina, que faz parte do nome e faz com que ele seja lido como roumuamua. Impulsionado pela gravidade do Sol, inverteu a trajetória e passou por baixo da órbita da terra no dia 14 de outubro, a cerca de 24 milhões de quilómetros. "Esta variação em brilho invulgarmente elevada revela-nos que o objecto é extremamente alongado: é cerca de dez vezes mais comprido do que largo, como uma forma complexa", explica no comunicado Karen Meech, do Instituto para a Astronomia, no Havai (Estados Unidos), e primeira autora do estudo. Estima-se que o asteróide tenha 400 metros de comprimento.

Além disso, a equipa de astrónomos descobriu também que o objeto é vermelho escuro e confirmaram que se trata de um objeto "completamente inerte, sem o mais pequeno traço de poeira em seu redor".

Além de se ter percebido que será denso e possivelmente rochoso ou com conteúdo metálico elevado, não terá quantidades significativas de água ou gelo.

Cálculos preliminares de sua órbita sugerem que o corpo celeste veio da direção aproximada da estrela Vega, na constelação da Lira. Mas, mesmo viajando à velocidade de cerca de 95.000 km/hora, demorou tanto tempo a chegar ao nosso Sistema Solar, que Vega já não se encontra na posição que ocupava quando o asteróide partiu de lá, há cerca de 300.000 anos atrás.

O 'Oumuamua deve ter vagueado pela Via Láctea, sem ligação a nenhum sistema estelar, durante centenas de milhões de anos até ao seu encontro casual com o Sistema Solar.

Se planetas se formam ao redor das estrelas da mesma forma que se formaram no nosso Sistema Solar, vários objetos do tamanho do Oumuamua podem estar vagando pelo espaço. "E agora que descobrimos a primeira rocha interestelar, estamos prontos para as seguintes!"

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Rússia suspende importação de carne suína e bovina do Brasil
Nós temos um programa no ministério que rastreia isso e nós temos a garantia de que o produto que vai para a Rússia não tem. O motivo seria a presença do aditivo alimentar ractopamina, identificado em algumas das remessas enviadas ao país.

Rússia dá por concluída a fase ativa da operação militar na Síria
Os dois líderes sublinharam que a operação militar na Síria está quase completada e que agora o objetivo principal é passar para a regularização política.

Irã declara vitória sobre Daesh na Síria e no Iraque
Em mensagem ao líder supremo iraniano, Ali Khamenei, o comandante da Força Quds , presente na Síria, felicitou pela "grande vitória" sobre o EI.

Fluminense vence, confirma permanência na Série A e complica a Ponte Preta
Nos minutos finais, o Fluminense aproveitou os espaços dados pela Ponte Preta para sacramentar a vitória , aos 41 minutos. Tudo por conta da briga entre Jô e Henrique Dourado , do Fluminense , pela artilharia do Campeonato Brasileiro de 2017.

Outras notícias