Relator diz que governo não tem votos para aprovar reforma da Previdência

039;Nova reforma da Previdência será muito mais dura', diz relator

Para o parlamentar, a maneira como o governo informou a população sobre a necessidade da reforma da previdência também foi "ineficiente", mas fatores "culturais" também pesaram na resistência em torno do assunto. A proposta atual não pode ser votada enquanto durar a intervenção.

Segundo ele, "o próximo presidente, em início de mandato, com certeza terá o capital político necessário", disse. "Este governo tem limitações, tanto por não ter sido eleito quanto pelas denúncias [contra Temer]".

Maia reconheceu que o governo não tinha votos para a provar o texto em fevereiro e disse que a proximidade com as eleições dificultaria ainda mais o trabalho de convencimento da base aliada. A intervenção foi decretada na sexta (16) anterior à semana em que a reforma seria discutida na Câmara dos Deputados. "Vai ser completamente diferente". "Duas variáveis são fundamentais para o governo: o estabelecimento de uma idade mínima de aposentadoria e a convergência de tratamento para servidores públicos e não servidores públicos", afirmou.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Ibovespa inicia em alta com expectativa de mais corte na Selic
O próprio presidente da entidade monetária, Ilan Goldfajn, reconheceu que a inflação lenta vem surpreendendo até o BC . Para o ano que vem, a estimativa caiu a de 4,24% para 4,20%, segunda baixa consecutiva.

Suplente de vereador é morta pelo marido em São Julião
Em 2008 iniciou atividades jornalísticas no mesmo sistema, representando o município de Amarante-PI durante 5 anos e 10 meses. Rosiana ainda foi socorrida e levada para o Hospital Regional Justino Luz na cidade Picos, mas não resistiu ao ferimento.

Palmeiras joga hoje pela liderança do Paulistão
Felipe Melo também está suspenso, enquanto Antônio Carlos, Lucas Lima e Borja estão pendurados e devem ser poupados. Se confirmar a posição, poderá manter a vantagem de definir as segundas partidas dos mata-matas em casa.

Funcionários libertados têm de ficar longe da BRF durante investigações
O ex-presidente global da BRF Brasil, Pedro de Andrade Faria, foi solto ontem (9) pela Polícia Federal em São Paulo . Cinco deles foram soltos após o vencimento das prisões temporárias.

Outras notícias