Trump barra compra da Qualcomm pela Broadcom

Paul E. Jacobs é o atual presidente executivo da Qualcomm Kevork Djansezian

A oferta da Broadcom, avaliada em US$ 117 bilhões, foi rejeitada pela Qualcomm, mas está sendo avaliada pelo Comitê de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos, uma agência liderada pelo Departamento do Tesouro que analisa implicações para a segurança nacional geradas por aquisições de empresas norte-americanas por grupos estrangeiros.

"A Broadcom discorda veementemente de que sua proposta de aquisição da Qualcomm levante qualquer preocupação de segurança nacional", disse a empresa em um comunicado à imprensa. A iniciativa de Trump representa uma ação nunca antes vista na história dos Estados Unidos, onde um presidente proíbe uma proposta de transação entre empresas.

A gigante de microprocessadores Broadcom, atualmente sediada em Singapura, anunciou que vai migrar sua sede para os Estados Unidos em abril.

A Broadcom alegou, em nota, que a mudança da sede para os Estados Unidos já estava prevista e não está ligada à compra da Qualcomm.

O texto que justifica a decisão apresenta questões de segurança nacional para o impedimento do negócio. "A Qualcomm deve realizar a reunião anual de acionistas no prazo de 10 dias após a notificação por escrito da reunião fornecida aos acionistas de acordo com a Lei da Companhia Geral de Delaware e esse aviso deve ser fornecido o mais cedo possível", diz Trump na ordem.

Apesar de o presidente dos EUA não ter sido específico quanto aos motivos que levaram à decisão, cogita-se que o governo norte-americano está cada vez mais preocupado em proteger as companhias do país devido ao crescimento acelerado da China nos setores de semicondutores e telefonia móvel, áreas em que o mercado norte-americano sempre teve muita influência.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

BNDESPar confirma proposta da Paper Excellence para compra de fatia na Fibria
Até a última sexta-feira (9), o volume diário médio de negociações em 2018 era de R$ 8,82 bilhões. A aproximação entre Fibria e Suzano foi confirmada pelas duas empresas em fevereiro.

Ex-secretário de Cabral e delegado são presos pela PF — Lava Jato
As conclusões partiram de depoimentos de outro operador de Cabral, Carlos Miranda , que fechou delação premiada. César Rubens de Carvalho é mais um secretário da gestão de Sérgio Cabral (MDB) a ser preso na Lava Jato .

Militares reforçam patrulhamento ostensivo na Vila Kennedy
Os militares ficam na Vila Kennedy até a noite, período em que o policiamento será feito por equipes do 14º BPM (Bangu). Na ação também foram apreendidos um rário transmissor, 41 trouxinhas de maconha, uma arma calibre 12 e munição.

Eibar vs Real Madrid: Visitors arrive in inspired form after PSG win
He told reporters: "Well, I'm not going to talk about a player who is not mine". "The problem is, they are not open to sell right now anyway".

Outras notícias