Incêndio em Leiria foi planeado um mês antes

O incêndio que deflagrou no Pinhal de Leiria em outubro do ano passado terá sido planeado com um mês de antecedência segundo avança a TVI

O incêndio que devastou, em outubro do ano passado, o Pinhal de Leiria foi planeado um mês antes da tragédia. A TVI recolheu provas nesse sentido, através de uma investigação jornalística que deu origem a uma reportagem, transmitida ontem à noite.

Envolvidos no planeamento terão estado madeireiros, donos de, pelo menos, quatro das maiores empresas de madeiras da região e donos de fábricas que compram e vendem o material, que, alegadamente, reuniram secretamente para acordar os pormenores e também os preços da madeira.

As reuniões secretas serviram também para acordar os preços da madeira.

Segundo a mesma investigação do canal televisivo, os incendiários utilizaram vasos de resina com caruma lá dentro para atear os focos de incêndio.

"Se isto sai daqui levo um tiro na cabeça", diz a fonte anónima que revelou o plano à TVI. Houve várias frentes de fogo em simultâneo e, dias depois do incêndio, já havia entre os populares a ideia de que teria sido fogo posto.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Deputados das ilhas reembolsados por viagens que não pagam
Entre os deputados que recebem estas ajudas de custo está Carlos César , líder da bancada parlamentar do Partido Socialista. Por dia de trabalho, os deputados que vivem mais perto de Lisboa recebem ainda 23,05 euros e os que vivem mais longe 69,19.

Defesa cita risco e discriminação em pedido de transferência de Cabral
Entre eles, pão com linguiça, cachorro-quente e bolo caseiro sem recheio, que podem ser consumidos nas áreas comuns ou nas celas. Sérgio Cabral está preso preventivamente desde novembro de 2016.

Produção de motos aumenta
No mês passado, foi registrada uma queda de 4,3% na comercialização (79.320 motocicletas), na comparação com março do ano passado. As vendas diretas ao consumidor tiveram aumento de 4% no primeiro trimestre do ano, com 210.970 emplacamentos .

Estados Unidos, Inglaterra e França atacam Síria conjuntamente; veja comentários dos presidentes
Até agora, o regime de Assad ainda não se pronunciou oficialmente sobre o ataque. Trump vinha ameaçando há dias uma resposta ao ataque químico na cidade de Duma.

Outras notícias