Síria. Ataque na zona de Homs

Política		
						
			Ingred Suhet		
			13/04/2018 22:18		, atualizado em 14/04/2018 0:07

"Isto testemunha a grande eficácia destes sistemas [antiaéreos] e a excelente formação do pessoal militar sírio formado pelos nossos especialistas", declarou o general russo Serguei Rudskoi, em conferência de imprensa.

De acordo com os militares russos, o ataque com mísseis contra alvos civis e militares foi conduzido por navios de guerra dos EUA em conjunto com as forças aéreas do Reino Unido e da França na noite entre sexta-feira e sábado.

Já o porta-voz do Comando Geral do exército sírio, Ali Maihub, indicou que os Estados Unidos, a França e o Reino Unido lançaram um total de 110 mísseis e garantiu que as forças de defesa antiaérea destruíram "a maioria" dessas armas.

Afirmou também que mísseis não interceptados impactaram um centro de pesquisa, onde se encontra um laboratório científico e um centro educativo, e que houve apenas danos materiais.

O ataque foi realizado na véspera de uma investigação internacional na cidade afetada.

No ataque com armas químicas em Duma na semana passada, morreram 78 pessoas e os EUA e as forças ocidentais acusaram o regime de Assad, declarando que isso não ficaria sem resposta.

Relacionado:

Comentários

Últimas notícias

Jovem morre atropelado na Av. Duque de Caixas; suspeito fugiu
Um homem morreu após ser atropelado por pelo menos dois carros na BR-369 em Apucarana na noite desta quinta-feira (12). A mulher apresentava sinais visíveis de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro.

Odair fecha treino e faz mistério no Inter para estreia no Brasileirão
Arbitragem: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão, auxiliado por Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (trio de Goiás). Um minuto depois, William Pottker recebeu lançamento e fez o passe para Nico disparar um chute que tirou tinta do travessão.

Mesmo após ataques aéreos, Assad lança ofensiva contra rebeldes na Síria
Já os americanos e aliados justificam a ofensiva como um recurso ao uso de armas químicas por parte do governo sírio contra a população de Douma.

"França não declarou guerra ao regime de Bashar al-Assad" — Macron
Ainda conforme o comunicado de Macron, o uso de armas químicas na Síria "é um perigo imediato para o povo sírio e para nossa segurança coletiva".

Outras notícias